Segunda-feira, 16 de Novembro de 2009

“PAUL AUSTER NUNCA JOGA PELO SEGURO” – A CRÍTICA DO THE SUNDAY TELEGRAPH A INVISÍVEL

 

 

 

Paul Auster nunca joga pelo seguro. Em Invisível, a manipulação da informação é levada a cabo de forma magistral, com o enredo a desdobrar-se sobre si próprio como um origami intelectual. E as cenas de incesto consentido são tão poderosas, tão magníficas, que quase perdemos de vista o tabu.

 

Neste décimo quinto romance, não só temos a ginástica mental de acrobacias literárias e as dissertações beckettianas da angústia humana do costume, mas também um relato vigoroso de intriga e perda, revelando uma visão apaixonante das confusões da vida.

 

Pode ler a crítica do The Sunday Telegraph, publicada no domingo, a Invisível, de Paul Auster, aqui.

 


publicado por Miguel Seara às 15:09
link da entrada | comentar | favorito

pesquisar

 




































































































arquivos

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Marcadores

todas as tags

links

Leitores

blogs SAPO

subscrever feeds