Terça-feira, 4 de Setembro de 2012

MAPA DE ESCRITA DE PAUL AUSTER – ARTIGO COMPLETO PUBLICADO NO SUPLEMENTO IPSÍLON, DO PÚBLICO

 

 

 

(Clique nas imagens para aumentar)


publicado por Miguel Seara às 11:06
link da entrada | comentar | favorito
Quarta-feira, 18 de Abril de 2012

A MÚSICA DO ACASO – PAUL AUSTER

 

 

Jim Nashe é um frívolo bombeiro de Boston que precisa de música como do ar que respira. Abandonado pela mulher pouco antes da morte do seu pai, que nunca conheceu mas lhe deixa uma herança inesperada, Jim fica subitamente sozinho e com uma fortuna que decide esbanjar à medida que viaja pelos Estados Unidos. Sem rumo, deixa-se conduzir pelo acaso, que se torna a força motriz da sua vida, transformando-a numa sucessão de acontecimentos aparentemente sem significado. Uma vida errante passada numa solidão quase completa, em que experimenta a divertida e dilacerante sedução do desenraizamento absoluto. Até ao dia em que a música do acaso lhe sugere uma outra aventura: apostar tudo numa única carta...

 

Metáfora sobre a fragilidade da identidade e a arbitrariedade das regras que regulam as nossas vidas, A Música do Acaso é um romance sobre liberdade e destino. Um universo bizarro onde a realidade se transfigura e um simples jogo muda irremediavelmente as vidas dos seus participantes. Obsessão, melancolia e o lado mais negro da natureza humana – alguns dos temas mais caros ao autor – estão todos presentes neste romance emblemático da obra de Paul Auster.

 

“Nesta história lúcida e fascinante, Auster levanta questões perturbadoras sobre lealdade, liberdade e inexplicável vontade de matar.”

Publishers Weekly


publicado por Miguel Seara às 15:59
link da entrada | comentar | favorito
Segunda-feira, 16 de Abril de 2012

NOVAS EDIÇÕES DE ALGUMAS DAS MAIS EMBLEMÁTICAS OBRAS DE PAUL AUSTER



publicado por Miguel Seara às 10:40
link da entrada | comentar | favorito
Segunda-feira, 26 de Outubro de 2009

"A AMBIGUIDADE GOVERNA O NOVO ROMANCE DE PAUL AUSTER" – ENTREVISTA DE PAUL AUSTER AO THE TIMES

 

 

A Austerlândia é um local de estranhas e ricas coincidências, onde os objectos assumem uma importância talismânica.

 

Podem ler a entrevista de Paul Auster ao The Times sobre Invisível, publicada no sábado, aqui.

 


publicado por Miguel Seara às 16:52
link da entrada | comentar | favorito
Terça-feira, 6 de Outubro de 2009

"THE WORLD IS IN MY HEAD. MY BODY IS MY WORLD" – ANÁLISE À OBRA DE PAUL AUSTER

 

 

Foi recentemente publicado no México uma análise da obra narrativa e ensaística de Paul Auster, da autoria da escritora Ivonne Saed, intitulada Paul Auster: autoría, distopía y textualidad.

 

Segundo a autora, a obra de Paul Auster centra-se em três aspectos: o conceito de autoria e a sua relação com a solidão; a distopia da esperança e a utopia ultrapassada; e a cidade como metáfora do Génesis e elemento indispensável da narrativa de Auster.

 

Para abordar estes temas, Ivonne Saed examinou principalmente os três romances que, em seu entender, melhor englobam as preocupações do autor com o presente.

 

Em Inventar a Solidão, Auster parte de uma fotografia para desconstruir a memória e o duelo perante a morte por intermédio da reescrita do eu.

 

Em No País das Últimas Coisas, a acção passa-se num espaço distópico que ultrapassa os mitos conhecidos de cidades apocalípticas.

 

E, finalmente, Cidade de Vidro, na qual pega no mito babilónico para falar de memória e do duelo como geradores de vida, assim como desse grande texto por decifrar que é a cidade como conceito.

 

Uma constante da narrativa de Auster é o facto de, desde as primeiras linhas, o leitor ficar entrelaçado num enredo que, no entanto, ainda está por contar. E com algumas palavras, antecipa um desenlace.

 

Ivonne Saed tem vindo a realçar, desde há alguns anos, em artigos publicados no México, que a premissa fundamental do trabalho criativo de Paul Auster se pode resumir a uma frase que o próprio escreveu quando tinha dezanove anos: “The world is in my head. My body is in the world.”

 

A obra de ficção de Paul Auster não pode ser estudada sem se analisar pormenorizadamente os seus ensaios, escritos segundo as mesmas chaves narrativas dos seus romances: Homem na Escuridão, Leviathan, A Música do Acaso, Mr. Vertigo e A Noite do Oráculo, entre outros.

 

Para o escritor norte-americano, escrever é um exercício necessário para unir os fios de coincidências que inundam o quotidiano. A sua condição de autor não pode ser separada da do ser humano comum.

 

As suas obsessões literárias andam à volta do acaso, da memória, Nova Iorque como cidade babilónica, mas também da necessidade de comer para escrever e escrever para comer.

 

(Texto escrito a partir de um artigo publicado no El Universal)


publicado por Miguel Seara às 17:06
link da entrada | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sexta-feira, 27 de Março de 2009

MARATONA DE CINEMA PAUL AUSTER

O Festival Dedica a Paul Auster promove duas maratonas de cinema dedicadas a Paul Auster. A primeira tem lugar hoje e a segunda decorre na quarta-feira.

 

 

 

 

 

 


publicado por Miguel Seara às 11:37
link da entrada | comentar | favorito
Segunda-feira, 15 de Dezembro de 2008

PAUL AUSTER E O CINEMA V – A MÚSICA DO ACASO

 

 

A Música do Acaso é a primeira colaboração de Paul Auster com o mundo do cinema. O filme foi realizado em 1993 por Philip Haas e foi exibido em 1994 no Fantasporto. Conta com Mandy Patinkin no papel de Jim Nashe e James Spader no papel de Jack Pozzi. Paul Auster também faz uma breve aparência no filme.

 

 


publicado por Miguel Seara às 16:40
link da entrada | comentar | favorito

pesquisar

 




































































































arquivos

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Marcadores

todas as tags

links

Leitores

SAPO Blogs

subscrever feeds