Terça-feira, 8 de Abril de 2014

Cidade de Vidro – Como tudo começou


publicado por Miguel Seara às 10:08
link da entrada | comentar | favorito
Quarta-feira, 20 de Março de 2013

CIDADE DE VIDRO – REEDIÇÃO

 

Um escritor de romances policiais, Quinn, recebe em três dias consecutivos um estranho telefonema que o incita a tornar-se detective e a proteger Peter Stillman. Quinn, procurado pelo nome de detective Auster, deixa de ser escritor, assume o papel de detective e inicia uma investigação que nos conduz a uma história bizarra e opressiva que nos prende até à última página.

Adaptação da primeira história da famosa
A Trilogia de Nova Iorque, de Paul Auster, esta novela gráfica por Paul Karasik e David Mazzucchelli foi considerada pelo Comics Journal como um dos 100 melhores comics do século XX, além de que foi considerada pela revista New York como a melhor novela gráfica sobre Nova Iorque, tendo ganho ainda o Prémio de Melhor Álbum Estrangeiro no Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora em 2006.


publicado por Miguel Seara às 10:41
link da entrada | comentar | favorito
Terça-feira, 5 de Fevereiro de 2013

FESTIVAL DEDICA – PAUL AUSTER E O CASO STILLMANN






publicado por Miguel Seara às 09:58
link da entrada | comentar | favorito
Sexta-feira, 30 de Outubro de 2009

"A INOCÊNCIA DA JUVENTUDE" – ENTREVISTA DE PAUL AUSTER AO THE INDEPENDENT

Paul Auster fala de Invisível, das influências na sua obra, sobre a forma como os livros são escritos, da sua juventude e de Sunset Park, o romance que entregou esta semana ao seu editor americano, numa entrevista publicada hoje pelo The Independent.

Para ler aqui.

 


publicado por Miguel Seara às 10:23
link da entrada | comentar | favorito
Terça-feira, 6 de Outubro de 2009

"THE WORLD IS IN MY HEAD. MY BODY IS MY WORLD" – ANÁLISE À OBRA DE PAUL AUSTER

 

 

Foi recentemente publicado no México uma análise da obra narrativa e ensaística de Paul Auster, da autoria da escritora Ivonne Saed, intitulada Paul Auster: autoría, distopía y textualidad.

 

Segundo a autora, a obra de Paul Auster centra-se em três aspectos: o conceito de autoria e a sua relação com a solidão; a distopia da esperança e a utopia ultrapassada; e a cidade como metáfora do Génesis e elemento indispensável da narrativa de Auster.

 

Para abordar estes temas, Ivonne Saed examinou principalmente os três romances que, em seu entender, melhor englobam as preocupações do autor com o presente.

 

Em Inventar a Solidão, Auster parte de uma fotografia para desconstruir a memória e o duelo perante a morte por intermédio da reescrita do eu.

 

Em No País das Últimas Coisas, a acção passa-se num espaço distópico que ultrapassa os mitos conhecidos de cidades apocalípticas.

 

E, finalmente, Cidade de Vidro, na qual pega no mito babilónico para falar de memória e do duelo como geradores de vida, assim como desse grande texto por decifrar que é a cidade como conceito.

 

Uma constante da narrativa de Auster é o facto de, desde as primeiras linhas, o leitor ficar entrelaçado num enredo que, no entanto, ainda está por contar. E com algumas palavras, antecipa um desenlace.

 

Ivonne Saed tem vindo a realçar, desde há alguns anos, em artigos publicados no México, que a premissa fundamental do trabalho criativo de Paul Auster se pode resumir a uma frase que o próprio escreveu quando tinha dezanove anos: “The world is in my head. My body is in the world.”

 

A obra de ficção de Paul Auster não pode ser estudada sem se analisar pormenorizadamente os seus ensaios, escritos segundo as mesmas chaves narrativas dos seus romances: Homem na Escuridão, Leviathan, A Música do Acaso, Mr. Vertigo e A Noite do Oráculo, entre outros.

 

Para o escritor norte-americano, escrever é um exercício necessário para unir os fios de coincidências que inundam o quotidiano. A sua condição de autor não pode ser separada da do ser humano comum.

 

As suas obsessões literárias andam à volta do acaso, da memória, Nova Iorque como cidade babilónica, mas também da necessidade de comer para escrever e escrever para comer.

 

(Texto escrito a partir de um artigo publicado no El Universal)


publicado por Miguel Seara às 17:06
link da entrada | comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 18 de Agosto de 2009

COMO ENCONTRAR PAUL AUSTER EM NOVA IORQUE?

Pode afixar panfletos por Park Slope com a seguinte inscrição: "Mr. Auster. Estou há alguns dias a percorrer o bairro à espera de me cruzar consigo. Trouxe-lhe um maço de cigarros turcos de presente, mas este método não está a funcionar. Assim que leia isto, por favor, entre em contacto comigo através deste e-mail."

 

Se isto não funcionar, pode simplesmente ler e guardar este artigo imperdível sobre Paul Auster e Brooklyn da autoria de Aitor Alonso, do blogue ¡Esto es Brooklyn! e publicada no El Correo de Espanha.


publicado por Miguel Seara às 10:34
link da entrada | comentar | favorito
Segunda-feira, 6 de Julho de 2009

DEZ DESTINOS, DEZ LIVROS – A CIDADE DE VIDRO

 

Escolher um livro onde Nova Iorque assuma um papel essencial é tarefa ingrata. Henry James, Rex Stout ou John dos Passos não perdoariam a preterência, mas a sugestão é Cidade de Vidro, adaptação para banda desenhada de uma das novelas de A Trilogia de Nova Iorque, de Paul Auster.

Sem nenhum dos tiques que costumam manchar as adaptações para BD, frequentemente redundâncias que se limitam a “contar aos quadradinhos” o que havia sido escrito, Karasik e Mazzucchelli, com a colaboração do próprio Paul Auster, criam uma obra que coloca a exploração das formalidades da linguagem da BD ao serviço de uma narrativa que tem a cidade como elemento axial.

A partir de um texto que vive da fragmentação narrativa, das histórias cruzadas e das indagações em torno da linguagem, Cidade de Vidro adopta uma abordagem gráfica receptiva à experimentação, à utilização de outras linguagens (como a infografia) e a uma incansável procura de soluções. O resultado transforma o labirinto verbal e narrativo de Auster numa exigente sequência de imagens onde a cidade se desdobra em reflexos enganadores, dédalos de ruas que passam do mapa para o cérebro das personagens e ilusões que cruzam o verbal e o visual. Não será a Grande Maçã dos bilhetes-postais, mas fará de qualquer viagem um mapa de interrogações sobre o que se vê.

 

Excerto do artigo “Dez Destinos, Dez Livros”, publicado na revista Os Meus Livros de Julho.


publicado por Miguel Seara às 14:18
link da entrada | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 20 de Abril de 2009

QUAL A RAZÃO DA POPULARIDADE DE PAUL AUSTER ENTRE OS ARQUITECTOS?

Interpretação de Cidade de Vidro, de Paul Auster, por Duytter e Jef Aérosol

A resposta é dada por Michael Sorkin aqui.


publicado por Miguel Seara às 10:00
link da entrada | comentar | favorito
Segunda-feira, 30 de Março de 2009

ENTREVISTA COM PAUL AUSTER

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

Entrevista do Il Manisfesto a Paul Auster. Para ler aqui.

 


publicado por Miguel Seara às 10:45
link da entrada | comentar | favorito
Quarta-feira, 25 de Março de 2009

O CASO STILLMANN

Leitura teatral de Cidade de Vidro, de Paul Auster, com Fausto Russo Alesi, Giorgia Senesi, Gianluigi Fogacci e Daniele Salvo. Música ao vivo de Daniele d’Agaro e adaptação e encenação de Daniele Salvo. Em baixo, fotos do espectáculo de ontem, inserido no Festival Dedica a Paul Auster.

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency


publicado por Miguel Seara às 13:58
link da entrada | comentar | ver comentários (2) | favorito

pesquisar

 




































































































arquivos

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Marcadores

todas as tags

links

Leitores

blogs SAPO

subscrever feeds