Terça-feira, 5 de Fevereiro de 2013

FESTIVAL DEDICA – PAUL AUSTER E O CASO STILLMANN






publicado por Miguel Seara às 09:58
link da entrada | comentar | favorito
Quarta-feira, 20 de Junho de 2012

LAUREL E HARDY VÃO PARA O CÉU – PEÇA DE PAUL AUSTER ENCENADA EM PORTUGAL

Sinopse:
Em Laurel e Hardy Vão Para o Céu, dois homens são instruídos para construir um muro. Não sabem a finalidade da obra, não sabem quem os mandou, apenas se guiam por um livro de instruções que seguem à risca com medo de serem castigados por esta entidade desconhecida. Porém, a construção do muro permite que os dois homens se conheçam melhor, que encontrem um sentido para as suas existências.  Metáfora sobre esta árdua tarefa que é a reconstrução da identidade e das relações entre as pessoas em busca de um mundo melhor.

Ficha Artística:

Autor Paul Auster  Tradução Teatro dos Aloés Encenação Jorge Silva Cenário e Figurinos  Ana Paula Rocha  Música Rui Rebelo  Fotografia e Desenho de Luz Carlos Gonçalves Assistente de Encenação e Fotos de Ensaio Anna Eremin Produção Executiva Gislaine Tadwald / Anabela Gonçalves Produção Teatro dos Aloés
Interpretação João de Brito e Luis Barros

Classificação Etária Maiores de 12 anos

Locais:

Recreios da Amadora – de 20 de junho a 1 de julho – de quarta a sábado às 21h30 e domingos às 16h00

Forúm Romeu Correia – Almada, de 14 a 16 de setembro – sexta e sábado às 21h30 e domingo às 16h00

Teatro Mirita Casimiro – Monte Estoril, de 20 a 23 de setembro – quinta a sábado às 21h30 e domingo às 16h00

Teatro Meridional – Lisboa, de 3 a 14 de outubro – quarta a sábado às 21h30 e domingo às 16h00

Preço único €5,00


publicado por Miguel Seara às 09:49
link da entrada | comentar | favorito
Quinta-feira, 30 de Setembro de 2010

DENTROFORA – PEÇA ESCRITA POR PAUL AUSTER VENCE PRÉMIO BRASKEM EM CENA NO BRASIL

 

A peça é uma homenagem do escritor americano Paul Auster a Dias Felizes – uma das mais famosas obras do dramaturgo irlandês Samuel Beckett (1906-1989) –, numa metáfora do homem contemporâneo, explicitamente imobilizado perante a vida.

DentroFora leva à cena as personagens Homem e Mulher, interpretadas respectivamente pelos premiados actores Nelson Diniz e Liane Venturella, que se encontram presos em caixas. Apesar de separados e de não se verem, a peça passa-se em torno de um diálogo intenso entre os dois, sobre assuntos quotidianos e também absurdos.


publicado por Miguel Seara às 09:53
link da entrada | comentar | favorito
Quarta-feira, 8 de Julho de 2009

LAUREL E HARDY VÃO PARA O CÉU

Laurel e Hardy Vão para o Céu, de Paul Auster, com encenação de Rui Braz e interpretação de Paulo Cintrão e Ricardo Soares, estreia amanhã no Floresta Center, na Tapada das Mercês. A peça, escrita por Paul Auster durante os anos retratados em Da Mão para a Boca, vai estar em exibição das quintas aos sábados, pelas 22.00, até ao dia 1 de Agosto.

 

Sinopse

Laurel e Hardy constroem muros. Hoje, amanhã e no dia depois de amanhã. Laurel e Hardy constroem muros. É o que fazem. É o que são.

Não conhecem a finalidade da obra. Não conhecem o mandante da obra. Estão sós num espaço inóspito e desconhecido, tendo por guia apenas um livro de instruções que procuram seguir à risca, receando ser castigados. Conseguirão concluir a tarefa?

Laurel e Hardy Vão para o Céu é uma de três peças de teatro escritas por Paul Auster nos anos 70, num tempo em que o agora famoso romancista lutava para sobreviver dos parcos rendimentos obtidos com a actividade como escritor profissional. A estreia – um retumbante fracasso, segundo o próprio autor – teve lugar em 1977, num estúdio da Rua 69 em Nova Iorque, onde sete anos antes Mark Rothko, o artista plástico, se suicidara.

Laurel e Hardy Vão para o Céu é uma comédia amarga sobre a perda de identidade do homem contemporâneo face ao mundo globalizado e desumanizado que o rodeia, que carrega a forte influência, por um lado, de À Espera de Godot, de Samuel Beckett e, por outro, das comédias burlescas de Stan Laurel e Oliver Hardy – conhecidos em Portugal como Bucha e Estica –, que marcaram Hollywood nos anos 30.

 

Mais informações em www.utopiateatro.com.


publicado por Miguel Seara às 11:10
link da entrada | comentar | favorito
Quarta-feira, 25 de Março de 2009

O CASO STILLMANN

Leitura teatral de Cidade de Vidro, de Paul Auster, com Fausto Russo Alesi, Giorgia Senesi, Gianluigi Fogacci e Daniele Salvo. Música ao vivo de Daniele d’Agaro e adaptação e encenação de Daniele Salvo. Em baixo, fotos do espectáculo de ontem, inserido no Festival Dedica a Paul Auster.

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency

 

© Luca d’Agostino / Phocus Agency


publicado por Miguel Seara às 13:58
link da entrada | comentar | ver comentários (2) | favorito

pesquisar

 




































































































arquivos

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Maio 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Marcadores

todas as tags

links

Leitores

blogs SAPO

subscrever feeds